Quando eu vejo jovens como as moças dos vídeos abaixo, eu me pergunto: Por que Deus?? Onde estavam os pais dessa gente na hora da educação quando crianças???

Em um dos vídeos tem um comentário assim: “os pais deveriam voltar a bater nos filhos”.

E realmente, a juventude hoje não é nem de longe igual aos jovens do passado (até a minha geração, depois que bagunçou tudo). Hoje vê casais gays, emos com maquiagem pesada e roupa preta, **** com roupas coloridas e extravagantes, meninos que dizem ser machos mas mais se parecem com meninas justin bieber, nerds, obesos, revoltados sem motivo, góticos, etc. etc. é comum hoje em dia. Tudo culpa da super-proteção dada às crianças, e na influência do governo que a cada dia tira o direito dos pais de “ensinarem a criança no caminho que devem andar” (Provérbios 22:6). Essa tal da nova lei que proíbe os pais de darem palmadas e beliscões nos filhos tira totalmente a moral dos pais. “Corrige o teu filho e ele te confortará, e te encherá de prazer” (Provérbios 29,17), “corrige teu filho, enquanto há esperança.” (Provérbios 19,18). Proibir os pais de corrigirem os filhos dá no quê? Adolescentes como os citados acima, inclusive casos mais bizarros como os dos vídeos. 

Não tem psicólogo no mundo que me convença que homossexualidade é uma escolha feita pela pessoa, toda pessoa nasce com um determinado sexo e quando chega à idade de saber escolher, escolha uma opção sexual diferente da que veio ao mundo. Esses moleques devem ser ensinados pelos pais. Se nascer com uma “mangueirinha” ele deve ser ensinado desde pequeno que é homem, macho! E se nascer com uma “conchina”(não lembro onde eu ouvi essa expressão) ela tem que ser ensinada que é uma mocinha, e que se tornará uma mulher! 

Mas aí os pais não ligam de educar seus filhos, eles vão aprendendo na escola, com coleguinhas, na televisão (que, como diria minha avó, “só ensina o que não presta”. srsrsr), internet… Resultado: Não tem censura pra Família Restart, Cine, Justin Bieber, Luan Santana… Resultado[2]: as aberrações citadas no começo do texto, que todo mundo conhece. (vídeo bônus, acho que só eu não conhecia esse cara, ele fala muito bem). 

Essa idéia eu sempre tive, mas nunca tinha colocado organizada ou não em um texto. Mas vontade de expor me veio quando um dia como outro qualquer, não fosse o frio que assolava Rio Branco no último sábado (17.07.10), quando eu estava na casa de um amigo com outros amigos em uma tarde qualquer, e de repente uma turminha de pré-colegial (eu acho) passou na rua. Por um momento me lembrei da minha infância: todos de mãozinhas dadas, as professoras organizando todo mundo pra continuarem andando em fila e sem soltar as mãos, então uma diz: “vamos cantar”. Ah, a minha infância, que saudade, mas de repente voltei à realidade quando ouvi a música que eles começaram a cantar: “CRÉÉÉÉÉUUUU, CRÉÉÉÉUUU” brincadeira, não foi tão bizarro assim. Foi uma música da Ivete Sangalo não lembro a letra nem o nome. Cadê as músicas infantis educativas? Não é pra menos cada vez mais cedo ver crianças e adolescentes promíscuas. Não é uma crítica à musica ou à musa Ivete, até porque era uma música que eu até gosto, pela sua letra e um pouco do ritmo. Mas convenhamos, era uma música feita para adultos, e não para crianças. Crianças devem cantar músicas de crianças. Mas isso não existe mais. 

Que Deus tenha piedade de nossas almas. 

Eu vou corrigir meu filho(a) quando preciso, ele(a) não vai ter escolha de sexo, vai ouvir as músicas de acordo com a idade, vai ter influência minha no que diz respeito a música, religião, sexualidade, vestimentas, tratamentos, time (é lógico). E quando for bem crescidinho(a), vai seguir tudo à sua maneira (porque eu não sou carrasco nem ditador). 

E se eu continuar escrevendo, isso vira um livro, não pela qualidade, mas pelo tamanho.

Já dizia o poeta: “Chega-te aos bons, serás um deles, chega-te aos maus, serás pior do que eles.” (dito popular). 

Anúncios