Um dos desejos que eu tenho, entre outros milhares e não sexuais, é aprender a surfar. E não por causa disso:

ou disso: Via Uhull.

Até seria um bom motivo. Entretanto desde criança me afixionei por todo esse lance de mar, ondas, músicas à beira-mar, etc. E apesar de só ter ido uma vez à uma praia marítima (que pra quem não sabe existem praias de rios também, e no Amazonas já fui em várias) no estado de SP, Santos pra ser mais exato (e pra relembrar que fui assaltado no Guarujá), sempre criei uma vibe em torno dos sentimentos que possam aflorar devido aos sons, pessoas e principalmente paisagens à beira-mar. Ainda mais se isso for em pleno pôr-do-sol.

E devido à isso, o desejo de surfar (ou pelo menos tentar) sempre me fascinou, talvez até por ver em filmes, documentários, comentários de pessoas que surfam ou experimentaram o surf. E esse desejo vem ligado ao desejo de viajar e conhecer lugares pelo Brasil e pelo mundo, lugares  à beira-mar de preferência. E eu não paro de me imaginar surfando em um lugar assim:

Sei que pode ser difícil aprender a surfar, posso tomar vários caixotes* (expressão pra quando você toma um “caldo”, se afogar). Mas só de estar respirando um ar diferente e sentindo aquela sensação de liberdade e euforia pelo simples fato de apenas estar alí naquele momento, mesmo se não tiver música por perto, o som do mar e minha cabeça imaginativa serão suficientes pra me fazer viajar e ouvir músicas e relaxar.

Sem stresses do dia-a-dia, do trabalho, de pessoas, ex, trânsito, alguns parentes (ex.:cunhado(a), sobrinho(a), sogro(a), etc). Cada minuto valerá a pena se esses minutos forem brindados com imagens que só no meu mais fantasioso sonho eu consigo ver.

 Já ouvi a frase: “Se nada der certo eu viro hippie”, mas para mim que seja hippie em um lugar onde eu possa sentir tudo isso que eu mencionei. E conseguindo surfar ou não, tenho certeza que já vou estar satisfeito, com energias renovadas, e com vontade de repetir tudo de novo no dia seguinte, e no dia seguinte, e no resto da vida que se seguir.

“E quanto a mim?
Eu continuo acreditando em paraíso.
Mas pelo menos sei que não é um lugar que possa procurar.
Porquê não é para onde vai, é como se sente por um instante na sua vida enquanto é parte de alguma coisa.
E se achar esse momento, ele pode durar para sempre.” – Leonardo di Caprio no filme “A praia” (The Beach).

Anúncios