“No princípio Deus criou o homem, e então Deus criou para ele uma companheira.”

Primeiro o homem e depois a mulher. E por muito tempo essa ordem foi obedecida, até que com o passar das décadas as mulheres mostraram que podem ser independentes e são fortes para serem tão boas quanto os homens em diferentes áreas. E por tanto tempo elas lutaram pra provar isso. Provar que podem trabalhar, ganhar salários iguais aos dos homens (tanto é que hoje isso nem se questiona mais), provar que podem ser empresárias, advogadas, médicas, juízas, delegadas, engenheiras, arquitetas, etc., bem sucedidas, que podem até trabalhar em obras como operadoras de máquinas ou fazendo trabalhos braçais. Em todos os esportes, antes vistos como masculinos, hoje existe a modalidade feminina, até mesmo em esportes considerados violentos como boxe, jiu-jítsu entre outros.

E para ela é até mais difícil serem tudo isso, porque elas ainda por cima têm que fazer uma série de coisas que são obrigatórias para qualquer mulher (eu disse OBRIGATÓRIO).

*Depilação em inúmeras partes do corpo;

*Tirar na pinça as sobrancelhas;

*Unhas dos pés e mãos;

*Cabelo, e suas infinitas opções do que fazer em um salão. São tantas opções que eu nem sei enumerá-las.

*Maquiagem

*e por ai vai.

Ou eu estou errado? É obrigatório. Tanto para que os homens que apreciam uma mulher bem cuidada, quanto para as próprias mulheres e seus egos elevadíssimos, que chegam até a se importar mais com a opinião de uma pessoa do mesmo sexo do que do sexo oposto.

E assim a humanidade vem se acostumando com mulheres que sempre batalharam para que exista a igualdade para ambos os sexos. A mulher sempre faz questão de dizer “direitos iguais”. Tudo bem. Concordo. Vocês/elas querem assim? Como diriam na gíria: Belê! Direitos iguais? Sussa! Mas aí elas querem cobrar o cavalheirismo da época em que a mulher era submissa ao homem. “Não existem mais homens como antigamente”. MAS É CLARO, isso porque não existem mais mulheres como antigamente. Querem ter salários e direitos iguais, mas na hora de pagar o jantar querem que o homem seja cavalheiro e pague tudo. Querem ter direitos iguais mas se irritam com a falta de romantismo. Querem aqueles gentlemen (cavalheiros) de antigamente, sem perceber que “aqueles” não tinham tanta dor de cabeça pra agradar uma mulher como hoje em dia.

O romantismo foi sendo extinto pelas próprias mulheres. Mas é claro que ainda existe. Mas de certa forma era mais fácil demonstrá-lo e ser um lover na época do romantismo(sec XVIII).

Orgulham-se em dizer que existe muita mulher mais “macho” que muito homem, mas adoram ser tratadas como as donzelas do século XVIII (18 sei lá vai que alguém não sabe algarismos romanos).

Não dá pra entender, e nem é pra entender mesmo. Homem que é homem não entende, só faz os caprichos e aceita ouvir de vez em quando “direitos iguais benhê” e ainda assim ter que pagar a conta e ter que tomar atitude, só pra poder pegar mulher.

É, se a vida fosse justa os advogados seriam anjos ao invés de demônios. Há! Piadinha que eu fiz de advogado, não se ofendam. =)

Texto e montagens (mal feitas via paint) by: Otis Keener

Anúncios