A Páscoa passou, e seu significado, para se manter vivo, mais uma vez, como acontece todos os anos, teve que disputar um lugar ao sol contra os coelhos e os ovos de chocolate.
Mas todos nós sabemos, ou deveríamos saber que é a celebração pela ressurreição de Jesus Cristo, após 3 dias de sua morte. Essa é a razão pela qual existe o feriado da “Sexta-Feira Santa” ou “Sexta-Feira da Paixão”, que foi o dia que Ele foi crucificado e morto.

Mas o que pouca gente sabe é que os 12 discípulos de Jesus também foram perseguidos e mortos. Das mais diversas formas de acordo com as tradições da época.

PEDRO – Sempre foi o mais impetuoso. Foi o que atacou o guarda romano quando Jesus foi traído e preso, mas Jesus curou a orelha do guarda. Respondeu 3 vezes seguidas que amava Jesus quando Ele perguntou, e mesmo alertado pelo Mestre, O negou também 3 vezes. Foi morto em Roma, perseguido por Nero em 64 D.C. E ao ser sentenciado à morte por crucificação, achou-se indigno de ser morto igual a Jesus, e pediu que fosse crucificado de cabeça pra baixo.

ANDRÉ – As tradições indicam que ele tenha ido a lugares distantes para pregar o Evangelho. Foi morto crucificado em uma cruz em forma de X, na Grécia. Seu corpo foi levado para Constantinopla, tornando-se padroeiro desta cidade.

TOMÉ – Foi morto em Mylapore, na Índia, por lanças de 4 soldados.

FILIPE – Sua morte é contestada, provavelmente foi crucificado, mas alguns afirmas que foi preso e torturado pelo procônsul.

MATEUS – Um dos mais antigos comentário diz que ele foi martirizado. Enquanto outros dizem que ele foi apunhalado até morrer na Etiópia.

BARTOLOMEU Foi esfolado vivo e depois decapitado.

TIAGO MAIOR – Depois da morte de Jesus, ele ficou juntamente com Pedro em Jerusalém. Foi decapitado por ordem do Rei Herodes Agripa.

TIAGO MENOR – Foi atacado por se recusar a denunciar os cristãos, sendo apedrejado até a morte, por ordem do sacerdote Ananias.

SIMÃOFoi martirizado à machadadas por se negar a sacrificar ao deus Sol, juntamente com Judas Tadeu.

JUDAS TADEUFoi martirizado à machadadas pelas autoridades persas e pela multidão instigada por sacerdotes zoroastristas, juntamente com Simão.

JOÃO – O discípulo mais próximo de Jesus, “o discípulo amado”. Foi o único que ficou com Jesus até a sua crucificação, correndo risco de ser preso. Jesus crucificado pediu que João tomasse conta de Maria, demonstrando grande confiança. Foi perseguido e preso, mas nunca conseguiram mantê-lo preso, sendo liberto com ajuda divína. Certa vez foi jogando em um caldeirão de óleo fervente e não se queimou, na cidade de Roma. Dessa forma foi exilado na Ilha de Pátmos, para onde eram mandados os piores malfeitores, para que morresse por algum animal selvagem, pois não era povoado. Foi alí, então, que teve a visão e escreveu o livro de Apocalipse. Após muito tempo voltou para a cidade de Éfeso, onde morreu aos 94 anos de morte natural.

MATIAS – Foi o discípulo substituto. Depois da morte de Judas Iscariotes, foi escolhido e pregou o evangelho até que foi preso e morto na fogueira.

JUDAS ISCARIOTES – A história de Judas Iscariotes é uma das mais interessantes e conhecidas. Conhecido por ter traído Jesus, em troca de 30 moedas de prata. Ao ver Jesus crucificado se arrependeu profundamente, jogou as moedas aos pés dos sacerdotes e cometeu suicídio, enforcando-se.

Agora a história não ortodoxa de Judas Iscariotes: É chamado por alguns de “o injustiçado”, por ter sido “predestinado” à trair Jesus, escolhido pelo Próprio para ser seu discípulo e escolhido para ser seu traidor.
Alguns historiadores relatam que ao tentar se enforcar no galho de uma árvore morta à beira de um penhasco, Judas agonizou e antes de morrer o galho da árvore quebrou e ele caiu no precipício, sofrendo fraturas diversas e teve cortes tão profundos que suas entranhas ficaram expostas. Mas mesmo assim não morreu. Agonizou até que urubus começaram a comer seu corpo ainda com vida. Como forma de “castigo” por trair o Mestre.
No entanto, existe uma lenda que diz que mesmo depois de tudo isso, ele não veio à óbito. Após dias de sofrimento, ele conseguiu se recuperar e incrivelmente se manteve vivo. Mas vendo a grandiosidade maléfica de seu feito, e de sua miraculosa sobrevivência, exilou-se por anos e anos, nunca mais sendo visto. E foi aí que ele percebeu que Deus, o castigou ainda mais, dando-lhe a imortalidade. Exatamente, para que vivesse por todos os dias da eternidade como um morto-vivo vagando pela noite, tendo que carregar a culpa de ter traido Jesus. Foi então que Judas percebeu que não podia mais ter contato com a luz do sol, que sua imagem não refletia mais no espelho, e que não tinha batimentos cardíacos e não tinha fome, a não ser a sede de sangue humano. E após muitos e muitos séculos, resolveu aparece, ganhando o nome de Conde Drácula. Isso mesmo, a estória diz que Judas Iscariotes foi o primeiro vampiro. Quanto à veracidade dessa história eu não posso afirmar com 100% de certeza. Mas dizem por aí.

fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ap%C3%B3stolo e http://www.espiritismo.org/os12apost.htm .

Anúncios